Os cinco maiores desafios de viajar de bike

artigo publicado em 17/07/2016



voltar

Quando encaramos uma longa viagem de bicicleta, muitos são os obstáculos que podem surgir no caminho. Não é nada fácil pedalar 50 km, 100 km ou 1000 km. Além do cansaço, que pode abater qualquer um, ainda existem outras dificuldades ou perrengues que você pode enfrentar. Mas nenhum deles consegue superar o sentimento de dever cumprido e alívio quando chegamos ao destino final.

Viajar de bike é uma aventura e tanto

Se você já viajou de bike, sabe que tem horas em que a gente quer desistir ou largar tudo. Pegar um ônibus pode ser muito mais simples, não?

O importante é manter o foco e não se deixar abater pelos empecilhos. A chuva torrencial que atrapalhou o percurso, um pneu que furou no meio de uma estrada barrenta, entre outros. Pensando nessas situações, que não dá simplesmente, para pegar tudo e colocar o pé na estrada.

Para viajar de bike e pedalar longas distâncias é preciso estar pronto!

Essa preparação se dá tanto na forma física no ciclista quanto na parte mecânica da sua magrela. Estar devidamente equipado também é essencial.

Separamos uma lista com os cinco principais desafios de quem quer fazer uma viagem de bike. Certamente, você vai passar por pelo menos um deles no seu trajeto.

Daremos dicas de como evitar certos aborrecimentos e resoluções para aquelas questões mais complexas. Fique esperto!

 

#1 Cansaço faz parte de longas pedaladas:

Não deixe-se abater pelo cansaço ao viajar de bike

Só de pensar em pedalar 1000km você já fica cansado, não? Ufa. Isso é extremamente comum. Viajar de bike exige bastante do nosso corpo. Afinal, ele que será o combustível de todo o percurso. É por isso que esse tipo de jornada costuma ser bem barato. Envolve apenas sua magrela, você e os demais equipamentos e acessórios para garantir a segurança dos dois.

Quando o viajante não está acostumado a fazer esse tipo de exercício com frequência, é inevitável sentir cansaço. No entanto, existem algumas estratégias que você pode colocar em prática para evitar passar por esse tipo de situação:

  • Investir em pausas curtas a cada 1h ou 2h;
  • Variar o ritmo e a frequência das pedaladas;
  • Ter uma alimentação equilibrada;
  • Comer mais carboidratos complexos.

Pausas são importantes: Não adianta nada querer pedalar 300km sem parar. Isso só vai te causar cansaço  e no dia seguinte, você nem aguentará se mexer. Por essa razão, tente equilibrar as distâncias percorridas.

Assim, faça pausas a cada 1h ou 2h. Nesse período em que estiver parado, aproveite para hidratar-se e, se sentir fome, coma uma fruta ou lanche leve. Não  esqueça da importância das refeições principais, como café da manhã, almoço e lanche.

Module a forma como pedala: Na intenção de chegar mais rapidamente ao destino, o ciclista pode colocar muita intensidade nas pedaladas, isso não deve ser feito em intervalos muito longos.

O ideal é que a cada quilômetro percorrido, por exemplo, você vá mudando esse ritmo. Isso ajudará seu corpo a se adaptar e evitará fadiga. Além disso, você terá mais disposição para manter-se pedalando por um período mais longo.

Tenha uma rotina regular de atividades físicas: Pessoas sedentárias ou que não praticam exercícios com certa regularidade têm mais dificuldades de viajar de bike.  Isso faz com que fiquem esbaforidas de maneira mais rápida.

Se você está planejando uma viagem longa de bicicleta, tente preparar seu corpo por no mínimo seis meses. Isso significa que, durante esse tempo, seguirá uma rotina de exercícios, especialmente aeróbicos. No entanto, incluir outras atividades anaeróbicas pode ser também uma boa ideia.

 

Mantenha uma alimentação saudável: Bons hábitos alimentares são essenciais para um bom funcionamento do nosso organismo. Exagerar em doces, frituras e muitos carboidratos simples pode ser prejudicial à saúde e ainda levar ao cansaço.

Para reverter essa situação, tente ingerir mais frutas, legumes e verduras. E, para conseguir energia, prefira alimentos integrais e outros carboidratos complexos, como aveia e grãos não refinados. As fibras que essas opções contêm ajudam a evitar a fadiga.

 

 

#2 Cuidado com câimbras deve ser constante:

Câimbras são um dos desafios de viajar de bike

Um dos maiores desafios para os ciclistas é a questão da câimbra. Em viagens de bike, então, esse problema pode ser ainda maior. De repetente, acontecem espasmos involuntários que doem e incomodam demais. Dependendo da intensidade, ainda podem causar acidentes.

Causado principalmente pela fraqueza muscular, esse incômodo pode ser evitado de várias formas. Há algumas pessoas com maior predisposição à câimbra. E, nesses casos, um médico pode receitar os melhores remédios para essa situação. Mas, para os demais, segue uma lista com medidas simples que ajudam bastante:

  • Beba bastante água;
  • Faça um bom alongamento;
  • Invista em alimentos ricos em potássio, como a banana;

Alongar-se é primordial: A câimbra pode ser evitada por atitudes simples como o alongamento.

Ele deve ser feito diversas vezes ao longo da viagem: antes de partir, em cada pausa e depois que chegar ao seu destino. Não precisa ser nada muito elaborado. O foco deve ser principalmente nas pernas e nos braços.

Alongamento ajuda a manter o pique da viagem de bicicleta

Beba 500 ml de água em cada parada: A desidratação é considerada uma das razões para o surgimento da câimbra. Portanto, hidrate-se ingerindo 500 ml de líquido a cada hora de pedalada. Beba água e carregue uma garrafa sempre consigo. Pode ser tanto a versão mineral como também a água de coco. Uma opção ainda melhor é a água tônica, que contém quinina, uma proteína que atua especificamente nessa área.

Bananas ou outras fontes de potássio são ótimos lanchinhos: Essa fruta só vai te oferecer benefícios. Além de oferecer energia e garantir seus níveis de potássio é uma opção leve para lanches nos intervalos das pedaladas. Tente comê-la antes e durante a viagem.

 

 

#3 Condições climáticas adversas podem virar empecilho:

Chuva e frio podem ser empecilho em viagens de bike

Chuva é desagrádavel para quem  está viajando de bike. Não há nada pior do que ficar horas molhado e não ter um lugar onde se proteger. Imagine se começa um temporal naquela estrada de terra enlameada que não tem nada por perto. É certamente um pesadelo.

Embora seja desconfortável, isso não impede que você continue a viagem. O mesmo se aplica a quando há uma geada ou frio intenso. Certamente, esses fatores climáticos atrapalham um pouco. O diferencial será a forma como você está vestido e o quanto sua bike aguenta esse tipo de situação. Ainda há outras soluções para reverter esse problema:

  • Mantenha a saúde em dia;
  • Faça uma boa manutenção da bike;
  • Invista em roupas impermeáveis.

Atitudes podem aumentar sua imunidade: Se você fica resfriado facilmente, pode ser que precise dar uma melhorada na sua imunidade. Ter um estilo de vida saudável já ajuda. Dormir bem, evitar bebidas alcoólicas e outras medidas são importantes. Além disso, insira o inhame na sua alimentação. Esse legume antioxidante é um verdadeiro remédio natural.

Evite acidentes com equipamentos de qualidade: Para garantir que sua bicicleta não fique refém dos efeitos proporcionados pela chuva ou frio, procure um técnico antes da viagem. Tente focar nas partes que mais são demandadas, como pneus, freios e outros. Lembre-se que sua bike deve estar em boas condições para enfrentar um longo percurso.

Roupas impermeáveis mantêm a temperatura corporal do viajante: Roupas próprias para ciclistas são o ideal nesse tipo de viagem. Geralmente, elas já têm o efeito corta-vento e muitas são impermeáveis. As bermudas e calças ainda são acolchoadas. Isso é ótimo para quem vai passar horas consecutivas sentado em um assento de bike. Cá entre nós, isso não é nada confortável.

 

 

#4 Cicloturista precisa estar sempre alerta:

Seja precavido quando for fazer longas pedaladas

Ser precavido é um dos deveres de quem faz uma viagem de bicicleta. Imprevistos podem acontecer a qualquer momento. E ninguém quer ser pego com as calças na mão. Para isso, existem alguns itens que não podem faltar nesse momento:

  • Acessórios como capacete, joelheira, cotoveleira, um bom par de luvas com gel e óculos de proteção fazem toda a diferença;
  • Kit de remendo e ferramentas básicas de manutenção de bike;
  • Equipamentos para bicicleta como lanterna, iluminação dianteira e traseira, campainha e retrovisor;
  • Remédios básicos e kits de primeiros socorros para possíveis acidentes, como quedas.

 

  • Primeiros socorros são essenciais em longas pedaladas

 

 

#5 Não esquecer de pensar na volta:

O último desafio para quem viaja de bike é que, depois que você leva uma semana para chegar a um lugar, terá que voltar. E isso precisa ser devidamente planejado. Portanto, não conte vitória por ter alcançado o seu destino. Essa foi apenas a primeira metade. Você pode traçar rotas alternativas para conhecer lugares diferentes também.

A volta para casa é a parte mais triste de uma viagem de bike

 

Viajar de bike é uma aventura incrível. Mas é sempre preciso pensar nos obstáculos e desafios que o ciclista precisa enfrentar quando se lança a pedalar longas distâncias. Tente vencer o cansaço, evite câimbras, esteja pronto para chuva ou frio, tenha sempre kits de emergência e não se esqueça do retorno. Esses são apenas cinco questões. Qual delas mais te preocupa?



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade