Conheça a Bahia de bike pelo litoral ou interior

artigo publicado em 25/08/2016



voltar

Boa parte dos melhores roteiros de bike está na Bahia.

Essa é a recomendação de ciclistas que já viajaram pelo Brasil inteiro.

A Chapada Diamantina, então, é quase unanimidade entre esses viajantes. E ainda há aquelas praias maravilhosas que esse estado tem a oferecer.

Se o que você quer é aventura e paisagens de tirar o fôlego, confira aqui duas das melhores opções de percursos que você pode fazer na sua vida. Uma, pelo litoral, seguindo a Costa do Descobrimento. A outra, pelo interior, incluindo a Chapada. Tudo dependerá da sua intenção e disposição.

Conhecer a Bahia de bike pelo litoral

Dicas gerais sobre pedalar na Bahia:

- O litoral é ótimo para pedalar, mas tente conhecer um pouco do interior;

- Você pode incluir uma passagem pelas agrovilas baianas no roteiro,mas cuidado, porque algumas podem ser perigosas. Nelas, grupos rivais costumam dividir o mesmo espaço;

- Muitas rodovias são perigosas e merecem mais atenção;

- Tente contar com o que a Bahia tem de melhor: a hospitalidade do seu povo. Não hesite em pedir ajuda quando precisar;

- Invista em uma boa bicicleta em estilo Mountain Bike. Os trajetos contam com muitas subidas ou com passagens pelo meio da água.

 

Opção 1:

Chapada Diamantina: Lençóis, Mucugê, Igatu e Andaraí

Conheça a Bahia de bike: Chapada da Diamantina

Trilhas incríveis, cachoeiras refrescantes e cristalinas e uma vista para lá de sensacional. Isso tudo é o que espera o visitante quando chega à Chapada Diamantina.

Indicado por mais de 90% dos cicloturistas, esse bioma é um dos recantos mais lindos e impressionantes da Bahia. E a falta de infraestrutura das estradas torna o passeio ainda mais emocionante.

Mais de 50 cidades

Embora seja tratado muitas vezes como um lugar só, a Chapada  Diamantina, na verdade, engloba diversas cidades baianas. As mais conhecidas são Lençóis, Mucugê, Igatu e Andaraí. Todas têm seus encantos. Basta escolher as que mais te agradarem.

Trajetos diversos. Existem dezenas de combinações de percursos que podem ser feitos. A maioria das trilhas é de nível mais complicado para quem está de bicicleta. Algumas exigem habilidades de Mountain Bike. Portanto, tente optar por aquelas que se adequam ao seu perfil.

Use ônibus a seu favor. Não importa de onde você esteja saindo: de Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília. Para chegar ao ponto inicial da sua aventura de bicicleta, você pode pegar um ônibus de viagem. Com isso, você economiza um pouco de perna.

Dependendo de seu ponto de origem, talvez você não queira demorar 30 ou mais dias pedalando até chegar lá. Programa-se a partir do seu tempo e condicionamento físico. Saiba que há muitas subidas no caminho.

Transporte precário. A partir de Vitória da Conquista, por exemplo, que fica a 120 km da região da Chapada, há opções de ônibus intermunicipais. As empresas Novo Horizonte ou Real Expresso que operam.

Mas vá preparado para uma experiência bem diferente. Além de não ter ar-condicionado, os veículos funcionam como os “lotadões” urbanos, pegando muita gente no caminho.

Salvador-Lençóis (430km). Se você estiver saindo de Salvador, algumas rodovias podem ser uma mão na roda. Mas cuidado, porque alguns trechos são bem perigosos. Além de problemas de pavimentação e sinalização, ainda poderá ver muito carro, moto ou caminhão fazendo irregularidade.

Conheça a Bahia de Bike: rodovia

Em Salvador, pegue a BR-342 até Feira de Santana. Após esse trecho, siga pela BR-116, E vá assim até chegar à ponte do rio Paraguaçu. A partir daí, deverá mudar para a BR-242, de onde seguirá até Lençóis.

Há ainda a opção de parar em Mucugê, Daí, você pode descer a rodovia por mais 50 km. Essa será a parte sul da Chapada. Dizem que é uma das partes mais maravilhosas. Mas também a escalada de bike aqui é bem complicada.

Vista deslumbrante: A melhor parte dessa viagem são os cenários. Quando você entra no Parque Nacional da Chapada da Diamantina, já há um baque positivo. Grutas, cachoeiras, cânions e rios que juntos tornam esse um lugar que todo brasileiro deveria conhecer.

Conheça a Bahia de Bike: Chapada 1

Menor dificuldade pela rodovia. Existe solução para quem quer circular pelos principais pontos da Chapada, mas não consegue encarar as trilhas mais difíceis. Basta ir pela BA-14. A rodovia estadual conecta Lençóis a três pontos principais: Andaraí, Mucugê e Ibicoara. Dessa última, é possível chegar a Igatu.

A partir da BR-242, o ciclista pode dar uma esticada até a cidade de Palmeiras. Lá que se encontra o Vale do Capão santuário ecológico. Essa é também uma das formações rochosas mais incríveis e exóticas da Chapada. Se tiver um tempinho sobrando, tente conferi-la.

Moradores são simpáticos. Pare nas cidades e vilarejos com a certeza de que sua bike chamará a atenção dos moradores. E puxar papo será inevitável para eles. Uma das maiores riquezas dessa região é o seu povo. Aproveite toda a sua hospitalidade, porque eles vão querer te oferecer desde comidas até um cantinho para dormir.

Lençóis tem importância histórica. A maioria dos turistas prefere usar Lençóis como base para a visita à Chapada da Diamantina. Além de ser a maior, ela tem uma importância histórica, já que, desde 1973, é tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Suas casinhas do final do século XIX dão um tom bucólico.

Conheça a Bahia de Bike: Lençóis

Mucugê traz pontos incríveis. Embora Lençóis costume ser o ponto de partida de muito aventureiro, é possível ter uma ótima experiência se estabelecendo em Mucugê. A partir dessa cidade, se chega ao Poço Encantado, além do Instituto de Plantas do Cerrado. Em 1844, os primeiros diamantes da região foram encontrados exatamente em Mucugê.

Conheça a Bahia de Bike: Poço Azul

Igatu é o mais exótico. Se você quer conhecer lugares diferentes, Igatú é o ideal para você. Há um museu de esculturas, que funciona a céu aberto. Nessa rua, todas as casas são feitas de pedras. São construções que remetem ao tempo do garimpo. É como voltar no tempo.

Conheça a Bahia de Bike: Igatu


Opção 2:

Rota do Descobrimento (BA) – 120 km pelo litoral baiano

Conheça a Bahia de Bike: Rota do Descobrimento

Sabe aquelas maravilhosas praias da Bahia?

Você pode tê-las como suas companheiras de viagem. Pedalar pelo litoral baiano é uma delícia. E a chamada Rota do Descobrimento traz essa possibilidade.

Você irá passar pelos mesmos lugares com os quais a esquadra de Pedro Álvares Cabral se deparou em abril de 1500. Esse trajeto vai desde Prado até Arraial D’Ajuda e está previsto para ser feito em cerca de sete dias.

Por conta própria. Há empresas que organizam esse roteiro por você, como a MTB Tours ou a Arraial Trip. Mas nada te impede de ir com a cara, a coragem, sua bike e um mapa, obviamente.

Falésias e rios incríveis. A ideia desse percurso é que o ciclista se aproxime ao máximo da natureza. Portanto, ele irá cruzar falésias e atravessar rios. Também passará em meio aos coqueirais e poderá dar um mergulho sempre que quiser.

Conheça a Bahia de Bike: Falésias

Charme das cidades. A ideia é que o ciclista aproveite cada dia em uma cidade diferente. O primeiro deles é Prado. Depois, segue-se para a rústica Cumuruxatiba. Corumbau, Caraíva, Curuípe, Trancoso e Arraial d’Ajuda completam o circuito. Porto Seguro está logo ali, ao lado para quem quiser.

Horários exigem atenção. Se você estiver indo por conta própria, não terá talvez um guia para te apontar o caminho ou te dar dicas de percurso. Então, fique atento aos horários. Escolha períodos entre abril e setembro, fora da temporada de chuvas. Isso porque a maré pode virar um empecilho.

1. Prado-Cumuruxatiba: 33 km

As belas paisagens podem esconder a dificuldade dessa pedalada a partir do norte da cidade de Prado. São 33km de viagem de bike até Cumuruxatiba. E isso vai mesclar um passeio por estradas de terra e pela costa marítima.

O ideal é que sua bike esteja preparada para passar no meio de falésias. E você também tem que estar pronto para mergulhar e aproveitar as águas refrescantes que esses lugares propicíam.

2. Cumuruxatiba-Corumbau: 26 km

Já pensou em pedala 26 km consecutivos pela praia? Aqui isso será possível. Até a vila de Corumbau, o ciclista terá como companhia o mar e aproveitará muitos mangues e coqueiros.

O espetáculo propiciado pelas falésias é de outro mundo. Seus tons avermelhados são muitos marcantes. É algo que certamente você irá apreciar nesse passeio. Corumbau também tem seu charme.

3. Corumbau-Caraíva: 30 km

Em Corumbau, é possível mergulhar nos corais, de preferência na parte da manhã. A Aldeia Indígena de Barra Velha também não pode ficar fora do roteiro. Ela fica próxima ao Parque Nacional do Monte Pascoal, que, na verdade, é o nome dado à faixa de areia dessa região.

Há uma estrada de terra que leva até o Rio Caraíva. Vale a pena fazer uma viagem de barco por lá, você também pode prosseguir de bike. O ideal é pernoitar na região para seguir ao próximo ponto no dia seguinte.

4. Caraíva-Coruípe: 30 km

Pedalar até o Coruípe pode ser uma delícia. Para isso, o ciclista deve voltar à praia e aproveitar para mergulhar no mar cristalino. Há uma trilha pelas falésias até chegar a um mirante natural. E logo depois vem a Praia do Espelho, uma das mais belas do país.

5. Coruípe-Trancoso: 30km

Esse trecho é um dos mais interessantes para aqueles que curtem aventura nas pedaladas. O viajante poderá seguir pela praia, por trilhas fechadas e pela estrada. A Mata Atlântica mostra-se ainda mais incrível nessa região. E logo a vila de Trancoso poderá ser avistada.

Conheça a Bahia de Bike: Trancoso

Aproveite a infraestrutura do local. Há diversas pousadas. Mas você também poderá acampar. Se você tiver levado barraca, essa é uma boa ideia também. E você ainda economiza um pouco para gastar com outra coisa.

6. Trancoso-Arraial d'Ajuda: 30 km

Conheça a Bahia de Bike: Arraial D'Ajuda

O último trecho desse passeio é para Arraial d’Ajuda. Passar pelo Rio Trancoso é um algo extremamente gratificante. O ciclista pode presenciar a vista das diversas ilhas e mangues formados.

Depois disso, chega-se à praia e o maior desafio será apenas não atrapalhar os banhistas, já que essa área é uma das mais movimentadas da viagem e a estrutura de Arraial d’Ajuda é impressionante. Basta aproveitar.

A Bahia é repleta de lugares incríveis. Além desses dois roteiros, há ainda o incrível Caminho da Paz. Você pode incluir cidades e outros lugares no seu planejamento. Se tiveres tempo disponível ou decidiu dar a volta ao mundo de bike, tente conhecer ao máximo os atrativos baianos. Vale totalmente a pena,boa aventura!



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade