4 Estradas incríveis para viajar de moto na América do Sul

artigo publicado em 30/08/2016



voltar

Sempre vemos estradas maravilhosas na Europa ou América do Norte e ficamos sonhando em pilotar por aqueles tapetes rodeados de um cenário de filme. A verdade é que temos estradas tão incríveis quanto e não precisamos ir muito longe para viver uma experiência dessas! Veja 4 estradas incríveis para viajar na América do Sul que você tem que fazer antes de morrer!

 

RUTA 40: ARGENTINA

4 Estradas incríveis para viajar de moto na América do Sul: Argentina

Tal qual a lendária Rota 66 nos Estados Unidos, a Ruta 40 é um símbolo no país dos hermanos. Ela cruza a Argentina de ponta a ponta, da província de Santa Cruz até a fronteira com a Bolívia, passando por 11 províncias, no total.

Seu percurso tem quase 5300km e grande parte do caminho está pavimentado, embora alguns trechos ainda sejam de cascalho e terra batida. Melhor assim, para ninguém dormir no guidão!

A rota 40 começou a ser construída na década de 30, mais precisamente em 1935, mas só em 2004 perceberam o potencial turístico de um circuito desse tamanho, que cruzava o país e passava por paisagens deslumbrantes, como as cordilheiras da Patagônia. Então, com um “chega pra lá” da Secretaria de Turismo, em 2006, quase 50% da rota já estava pavimentada.

A estrada começa a nível do mar, mas chega a subir quase 5000 metros de altitude em Abra del Acay, em Salta. A Rota 40:

  • Passa pelos 18 rios mais importantes da Argentina
  • Passa por 20 parques naturais
  • Conecta 27 passos de montanha na Cordilheira dos Andes
  • Atravessa 11 províncias de 3 regiões argentinas

 

Depois que resolveram investir na Rota 40 como um atrativo turístico na Argentina, a estrada ganhou várias modificações e está em constante atualização e alteração. Ainda assim, em alguns pontos a Ruta 40 parece um caminho fantasma e se a sua moto der algum problema, meu amigo, é melhor estar equipado para resolver ali mesmo. É claro, se dinheiro não é problema e você prefere garantir tudo nos mínimos detalhes sem se preocupar, pode optar por contratar uma agência argentina que organiza tudo (até as motos) e ainda manda um carro de suporte para acompanhar durante a viagem.

Algumas dicas para quem vai começar a Ruta 40:

  • Vá preparado para tudo, pois em muitos trechos é praticamente impossível encontrar mecânicos, borracharias ou posto de abastecimento;
  • Prefira uma moto mais pesada de pneus largos, a Rota 40 é famosa por atirar motociclistas para fora da estrada muitas e muitas vezes. As rajadas de vento são constantes e muito fortes;
  • Use o site oficial da Ruta 40 para checar a situação dos trechos antes de começar os percursos. No site, também encontra informações sobre os pontos turísticos de interesse, mapas e links para sites específicos de cada localidade.

 

RODOVIA INTEROCEÂNICA: PERU

4 Estradas incríveis para viajar de moto na América do Sul: Peru

Também conhecida como a “Estrada do Pacífico”e liga três países Peru, Bolívia e Brasil. No Brasil, o trecho nacional é conhecido como a BR 317 e no Peru é só chamada como Carretera Internacional. A estrada começa na BR 364, na cidade de Porto Velho (RO), passa por Rio Branco (317), no Acre, e vai até o litoral sul do Peru.

A Rodovia Interoceânica começou a ser construída em 2002, mas só quase 2 anos depois é que as obras começaram realmente. Em 2006, foi feita a inauguração oficial da ponte que ligava o Acre ao Peru; no ano seguinte, 2007, inauguraram a parte basileira da Estrada do Pacífico, quando terminaram de asfaltar e fizeram as duplicações programadas. Mas só em 2010 a parte peruana foi totalmente pavimentada e começou a funcionar de vez.

A parte boa é que com construções e obras tão recentes, a estrada está em boas condições para quem faz o percurso! Apenas alguns poucos trechos estão sem pintura e outros já apresentam alguns buracos, mas ainda assim o pavimento atende às expectativas.

A Interoceânica tirou o título de Mais Alta Rodovia Pavimentada do Mundo da Estrada de Karakoram (rodovia que liga a China ao Paquistão): são “meros” 4735 metros de altitude! Na encosta da cordilheira andina, a estrada pode ser bem perigosa e até assustadora com suas curvas acentuadas!

Algumas dicas para quem vai se aventurar na Rodovia Interoceânica:

  • Não tenha pressa, separe dois dias para fazer o trecho de Rio Branco a Cusco, pois pode ser muito cansativo e na fronteira é onde a estrada tem menor qualidade (pelo grande volume de tráfego).
  • Os trechos peruanos estão em excelente estado e possuem boa sinalização, mas poderá encontrar pedágios ao longo do caminho e tenha atenção aos animais que atravessam a pista (sim, pode ser uma lhama!)
  • No ponto mais alto da estrada, convém aceitar uma folha de coca dos habitantes para evitar tonturas e demais sensações causadas pela densidade do ar àquela altitude.
  • A CNH brasileira é válida para conduzir no Peru por até 6 meses a contar da data de entrada no país.

 

ROTA 23: CHILE

4 Estradas incríveis para viajar de moto na América do Sul: Chile

A Rota 23-CH é a principal rodovia do norte do Chile e seu percurso é de aproximadamente 311km de extensão.  A rota passa por:

  • Calama
  • Antofagasta
  • San Pedro de Atacama
  • Toconao
  • Salar de Atacama
  • Paso de Sico (passagem montanhosa de fronteira com a Argentina)

 

A maior parte da estrada está pavimentada, especialmente entre Calama e a zona sul de Socaire, mas de Socairo até a fronteira o caminho é todo de chão. Existe também um trecho turístico de pouco mais de 13km, em San Pedro de Atacama, onde é proibida a circulação de caminhões, deixando a rodovia mais tranquila para trafegar.

Em questão de altitude, a Ruta 23-CH não fica muito atrás da rodovia peruana e faz um páreo forte à rodovia chino-pasquitanesa de Karakoram: são 4580 metros de altitude! E algumas curvas podem tornar a passagem bem arriscada e traiçoeira!

Assim como a Rota 40 da Argentina, a Ruta 23-CH passa por uns trechos remotos bem abandonados (não em infraestrutura, mas ocupação mesmo!). O chão é de cascalho e à sua volta só se vê deserto, areia, montanhas, áreas de preservação nacional e reservas. As paisagens são maravilhosas, a experiência é incrível, mas se der problema na moto e você não estiver preparado, a situação não será das melhores.

Algumas dicas para quem vai trilhar a Ruta 23-CH:

  • Previna-se! Leve material para fazer reparos na moto, caso preciso, pois em algumas áreas o suporte será zero e não conte com mecânicos ou borracharias.
  • Leve combustível extra, pois posto de abastecimento também pode ser difícil de achar em alguns momentos.
  • Capriche nas roupas: o Chile pode ter temperaturas amenas no verão, mas trilhando a Ruta 23 no inverno pode te surpreender com temperaturas de 12 graus abaixo de zero!

 

ROTA ROMÂNTICA: BRASIL

4 Estradas incríveis para viajar de moto na América do Sul: Brasil

Rá! Achou que o Brasil ia ficar de fora? Nem pensar. A Rota Romântica aparece em listas e rankings das rotas mais belas do mundo e vale a pena fazer esse percurso!

A Rota Romântica fica na Serra Gaúcha e cruza 14 cidades, são elas:

  • Nova Hamburgo
  • São Leopoldo
  • Ivoti
  • Dois Irmãos
  • Santa Maria do Herval
  • Estância Velha
  • Linha Nova
  • Presidente Lucena
  • Picada Café
  • Nova Petrópolis
  • Morro Reuter
  • Canela
  • Gramado
  • São Francisco de Paula

No total, o percurso tem mais de 350km e só de Porto Alegre até a cidade de Gramado são 135km. A rodovia está pavimentada e o asfalto é muito bom, mas é claro que isso resulta em pedágio (há um posto de pedágio à entrada de Gramado).

A rota faz jus ao nome, pois a paisagem parece saída de obras de arte e ilustrações de livros. Especialmente no Outono, quando as árvores ficam douradas e tornam tudo ainda mais deslumbrante nas margens do trajeto. Como é de se esperar, isso tudo atrai muito a atenção de casais e turistas, pelo que a rota pode ser bem estressante em horários de pico – por isso, evite esses horários.

O Rio Grande do Sul foi majoritariamente colonizado por alemães e a influência germânica é bem visível na maioria das cidades da rota. A arquitetura, a estrutura e toda a apresentação do lugar dão a impressão de estar passeando em outro país, que não o Brasil.

Entretanto, a rota tem umas curvas bem acentuadas e até perigosas. Para quem não gosta muito da ideia, é preferível fazer a rota de Gramado a Porto Alegre e não o contrário.

Dicas para quem vai se aventurar na Rota Romântica:

  • O outono é a melhor estação para curtir a paisagem;
  • Se viajar no inverno, vá preparado, pois a Serra Gaúcha pode ser quase inóspita para quem viaja de moto.
  • Evite dirigir à noite, quando pode aparecer neblinas que deixam a estrada quase impraticável com aquelas curvas acentuadas.

 

Gostou das dicas? Se já fez algum desses percursos, deixe suas dicas para outros viajantes nos comentários e compartilhe seu roteiro de viagem!



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade