De Alagoas ao Rio Grande do Sul – medo virou empolgação! (Parte 2)

artigo publicado em 02/12/2016



voltar

4º DIA – 726 km

 

  • Minas Gerais (BR-381)

Antes do amanhecer, como de costume, colocamos o pé na estrada, no trecho que mais achávamos desafiador – de Carmo da Cachoeira, MG, a Curitiba, PR! Não é toda hora que conseguimos no mesmo dia estar em 3 estados diferentes de nosso imenso país. Isso se repetiria no 5º dia, quando percorreríamos parte do PR, SC e RS. Mas antes havia MG e SP pela frente!

O “sul do sul de Minas” é belo em suas paisagens e estradas. Foi muito agradável terminar de viajar por esse estado que nos deu ótimas recordações, pois moramos alguns anos junto com o hospitaleiro povo mineiro. “Bom demaidaconta, sô!”

Cidades que percorremos em Minas Gerais no 4º dia de viagem: Três Corações, São Gonçalo do Sapucaí, Careaçu, São Sebastião da Bela Vista, Pouso Alegre, Estiva, Cambuí, Camanducaia e Extrema.

 

  • São Paulo (BR-116, SP-008, SP-023 e SP-021)

São Paulo é São Paulo, com todo o seu movimento. Como a maioria de vocês que está lendo esse artigo conhece bem as movimentadas ruas dessa grande cidade, não preciso dizer muito. Basta mencionar que nos esquecemos de ligar o GPS quando nos aproximamos da capital paulista, e aí fomos parar quase no centro da cidade. Corrigimos o quanto antes e voltamos ao nosso trajeto, rumo à Curitiba, viajando pelo Rodoanel Mário Covas e depois pela BR-116.

Pensávamos que o trecho de mata atlântica que divide os estados de São Paulo e Paraná seria problema, mas nada! Continuamos tendo uma ótima viagem!

Cruzamos as seguintes cidades do Estado de São Paulo no nosso 4º dia de viagem: Vargem, Bragança Paulista, Atibaia, Portão, Vila Machado, Carapicuíba, Osasco, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, Juquitiba, Santa Rita do Ribeira, Miracatu, Juquiá, Registro, Jacupiranga e Cajati.

 

  • Paraná (BR-116 e BR-476)

O tempo estava limpo nesse belo domingo de viagem. A escolha foi ótima: estar na estrada no domingo de eleição nos ajudou a ter sucesso em atravessar o estado de São Paulo sem maiores problemas.

O estado do Paraná tem vistas incríveis à medida que aparecem as araucárias e a neblina, típicas da região! Só é preciso ter muito cuidado com os trechos onde você enfrenta a neblina, que limita muito a visão do motorista. Fora isso, tranquilo demais! Antes das 17h estávamos na casa de nossos amigos em Curitiba!

Agora faltava apenas um dia de viagem. A ansiedade era enorme! Talvez seja por isso que, mesmo estando na agradável companhia de amigos tão bondosos, partimos cedo da capital paranaense, rumo ao nosso último dia de viagem! Rumo aos pampas!

Essas são algumas cidades que percorremos no Paraná no 4º dia da nossa viagem: Campina Grande do Sul, Quatro Barras e Curitiba.

 

5º DIA – 713 km

 

  • Paraná (BR-376 e BR-101)

Antes do raiar do sol, em meio a muita umidade e frio, partimos corajosamente para a última parte da nossa jornada! Agora faltava apenas 3 estados! Apenas? Sim! Depois de cruzar a Bahia e Minas, o que seria o restante do Paraná, Santa Catarina e um pedacinho do Rio Grande?

Seguindo sugestão de meu amigo em Curitiba, fomos descendo do alto da capital do Paraná rumo à São José dos Pinhais – a BR-101 estava próxima, e daí seria um “tapa” até Floripa! Mas parte da estrada, na chuva, apresentava maior risco para nós. Assim, decidimos percorrer o trecho com cuidado redobrado à medida que muitos motoristas andavam na média de 40 km/h a 50 km/h. À medida que nos aproximamos da BR-101, as coisas foram melhorando e o restante da viagem foi muito tranquila!

Aqui estão algumas das cidades paranaenses que atravessamos no último dia de nossa viagem: São José dos Pinhais e Pedra Branca do Araraquara.

 

  • Santa Catarina (BR-101)

Viajar por Santa Catarina apresenta vistas magníficas do mar a partir da BR-101. Foi uma pena que em todo o estado catarinense a forte chuva, que já havíamos começado a enfrentar no Paraná, continuou impiedosamente! Foi daí que tivemos a ideia de tomar um bom café da manhã no restaurante do Auto Posto Sinuelo em Araquari, SC.

A qualidade da BR-101 nessa parte de nosso vasto país é tão bem estruturada, que é possível viajar com segurança mesmo com a pista molhada. Foi isso o que aconteceu: ao continuarmos viagem depois do café, enfrentamos mais chuva, mas chegamos em segurança à divisa dos Estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Detalhe importante: nessa época do ano, os acessos para Florianópolis (ilha e continente) ficam quase sem fluxo. E isso que passamos por ali numa segunda-feira! Estava muito tranquilo!

Quando o Rio Grande estava mais próximo, a chuva acabou e o calor, que começa a se intensificar nessa época do ano, começou a surgir! Estávamos perto de nossa terra depois de 55 horas dentro do carro!

Essas foram algumas das cidades de Santa Catarina que atravessamos no 5º dia de nossa viagem: Garuva, Joinville, Araquari, Barra Velha, Piçarras, Navegantes, Itajaí, Balneário Camboriú, Camboriú, Itapema, Porto Belo, Tijucas, Caieira, Tijuquinhas, Guaporanga, Biguaçu, São José, Palhoça, Paulo Lopes, Garopaba, Imbituba, Barranceira, Capivari de Baixo, Tubarão, Jaguaruna, Morro Azul, Morro Grande, Maracajá, Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul, São João do Sul e Passo de Torres.

 

  • Rio Grande do Sul (BR-101 e BR-290, conhecida popularmente no RS como “Freeway”)

As nossas últimas duas horas de viagem passaram voando. A BR-290 apresentou um dos melhores trechos do roteiro que escolhemos. Em alguns pontos ela tem 4 pistas num só sentido e curvas abertas, o que dificulta acontecer muitos acidentes.

À medida que atravessamos as cidades gaúchas entre Torres e Gravataí, nos maravilhamos com as paisagens do pé da serra que fica próxima do litoral e os diversos corpos de água que estimulam a beleza natural dessa região.

É... era a saudade da terrinha mesmo. E ela chegou! Foi o dia que chegamos mais cedo em nosso destino: segunda-feira, 3/10/16, às 15h30! Foi muito bom poder estar de novo com nossa família! Mesmo com todas essas horas de viagem, a chegada compensou o percurso distante!

Detalhe importante: Conversei com um amigo que recentemente viajou da Paraíba até o Rio Grande do Sul, e ele me disse que usando um trajeto pela BR-101 desde o Nordeste, o gasto foi de mais de R$ 400,00 de pedágio. Vocês podem até achar uma piada o que vou dizer, mas em toda a nossa viagem de AL ao RS, gastamos apenas R$ 65,00 de pedágio! Para quem quiser a prova, tenho os comprovantes guardados!

Cidades que atravessamos no RS até chegar em nosso destino final no 5º dia de viagem: Torres, Três Cachoeiras, Terra de Areia, Maquiné, Aguapés, Osório, Santo Antônio da Patrulha, Glorinha e Gravataí.

 

Distância total: 3.445 km

Total combustível: R$ 1.046,01

Total pedágio: R$ 65,30



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade