El Caminito del Rey, a trilha mais perigosa da Espanha

artigo publicado em 04/01/2017



voltar

Se você não tem qualquer problema em caminhar tranquilamente à beira de desfiladeiros e passar por cima de pontes de madeira velha e suspeita a muitos, mas muitos metros MESMO acima do chão, então “El Caminito del Rey” é uma viagem obrigatória! Venha ver!

El caminito del rey málaga

“El Caminito del Rey” é uma trilha espanhola que já esteve entre as mais perigosas de todo o mundo. São mais de 3km de extensão (especificamente, 3300m), com apenas um metro de largura, de um trajeto cravado em rochas antigas, fazendo a encosta dos desfiladeiros de Gaitanejo e El Chorro, ao norte da província de Málaga.

Em alguns pontos, o cruzamento chega a estar até 100m acima do chão, o que seria, mais ou menos, um prédio de 30 andares. E, acredite ou não, a trilha ficou famosa mundialmente porque estava tão abandonada que as condições tornavam o trajeto ainda mais desafiador.

Não há uma contagem oficial do número de mortes que já ocorreram no trajeto, que foi construído em 1900 e terminado em 1905 – mas não ficaria surpresa se fosse uma vida por quilômetro, como a Estrada de Caracorum entre a China e o Paquistão.

Com vãos intransponíveis em algumas partes do trajeto por causa da ação do tempo, é fácil imaginar um número alto de acidentes por ali. Mas foi um em especial, que envolveu a morte de 5 turistas, no ano 2000, fez com que o governo local fechasse El Caminito del Rey por 15 anos e estabelecesse uma multa de 6000 euros para quem ousasse desobedecer.

 

E o que tem o Rei a ver com o Caminho?

Rei Afonso XIII atravessando El Caminito del Rey. Crédito: caminitodelrey.info

Eu gosto de nomes, então vamos falar do nome da trilha.

Como referi anteriormente, o trajeto foi construído entre 1900 e 1905. O objetivo era facilitar o acesso dos trabalhadores à hidrelétrica que estava sendo construída no Rio Guadalhorce. Se você não gosta de pegar trânsito para trabalhar, imagina cruzar uns desfiladeiros com material de obras nas costas.

Pois é, foi nesse sentido que surgiu o caminho, que até então não era de rei nenhum. Eis que, em 1921, seria inaugurada a novíssima Represa de Guadalhorce, sob orientações do Conde e Engenheiro Rafael Benjumea. Obviamente, Vossa Majestade Afonso XIII não poderia faltar a um evento desse porte. Mas, para chegar até lá, precisava cruzar o desfiladeiro e as pontes do trajeto construído para a hidrelétrica, que era a única via possível.

Não sei onde a figura real buscou tanta coragem, mas o fato é que, depois disso, o trajeto ficou conhecido como El Caminito del Rey.

 

Investimento, revitalização e reformas

Pena que o Rei não tenha vivido para ver. Depois de muita reivindicação do povo local e dos turistas de todo mundo, em 2011 algumas melhorias significativas foram feitas no Caminho. O governo local e regional resolveram “rachar” as despesas e adicionaram alguma infraestrutura, não só para aumentar a segurança, mas também melhorar o atrativo.

No ano, investiram cerca de €9 milhões de euros para construir um estacionamento, um museu e um centro turístico para visitantes. Além disso, também instalaram lâmpadas leds para quem tem doses extras de coragem para se aventurar à noite, novos caminhos em madeira com parafusos de aço e linhas de segurança e instalação de uma via ferrata para montanhistas.

 

Dicas para quem vai se aventurar pelo Caminito del Rey

El caminito del rey espanha

Se você está disposto a encarar um metro de largura, 100m de altura para 3km de comprimento, aqui vão algumas dicas que separei e que valem a pena dar uma olhada antes.

 

1. É preciso reservar um bilhete e horário para fazer o percurso

É preciso reservar sua entrada para o percurso com antecedência, apontando a data e o horário em que pretende ir. O ideal é marcar 2 ou 3 meses antes, pois o número de visitas diárias é limitado a 600 pessoas e o trajeto é bem disputado. Cheque a disponibilidade no site oficial, onde também são feitas as reservas.

Observação: é possível que haja, eventualmente, “vagas por desistência” que podem ser adquiridas na bilheteria no momento. Entretanto, a probabilidade é baixa e certamente não vale o risco.

 

2. Leve documentos e chegue antes da hora

Eu sei que é uma dica óbvia, mas sempre tem quem esqueça ou simplesmente não leve por medo de perder. Entretanto, para entrar n’El Caminito del Rey é preciso apresentar seu passaporte e os bilhetes reservados. Também exigem que esteja lá pelo menos 30 minutos antes da hora reservada.

 

3. Confira a meteorologia e prepare equipamento

Outra dica que pode parecer óbvia, mas é especialmente importante em percursos pedestres e de montanhismo. Como já falei, o percurso tem uma via ferrata para montanhismo, mas o equipamento deve ser levado pelos próprios viajantes. Também é possível alugar material nas proximidades, têm muitas lojas. Quanto ao tempo, eles podem simplesmente bloquear a entrada quando o tempo estiver mais feio, por medidas de segurança.

 

4. Caminho até o Caminito

É possível se hospedar nas proximidades, mas se estiver curto no orçamento, recomendo ficar mesmo em Málaga. Dali, as possibilidades são ir de ônibus ou de trem. Sendo esse último o que tem a vista mais privilegiada sobre o desfiladeiro, é claro. Também não dá para descer de carro até a porta do trajeto em si, é preciso estacionar e fazer uma pequena caminhada até lá.

 

5. Percurso em família, dá sim

Existem duas alternativas de percurso ao longo do Caminito, uma mais tranquila que a outra. É possível fazer com crianças, se você pretende viajar com família. Inclusive, é bastante comum ver pais com filhos e até mesmo idosos fazendo o trajeto ao longo do ano. Apenas assegure as medidas de segurança e leve mantimentos para todos e tudo ficará bem.

 

6. Regras del Caminito e recomendações gerais

Não é permitido entrar usando chinelos, bastão de caminhada, guarda-chuva nem bastão de selfie. O percurso também não está aberto a visitações nas segundas-feiras nem feriados de fim de ano. Se você pretende fazer entre outubro e março, que são os meses mais frios, consulte antes, porque o horário de funcionamento é reduzido significativamente.

Outra coisa importante é levar lanches para comer ao longo do trajeto, água suficiente e abusar no protetor solar – se você fizer a trilha no verão, é claro. A trilha é só trilha MESMO, não tem lojas, restaurantes, lanchonetes, nadinha. Isso leva a outra dica, talvez a mais importante: não tem banheiro no trajeto, viu?

 

E aí, gostou? Agora você só precisa criar coragem e meter o pé na estrada à moda del Rey Afonso XIII. Compartilhe e marque seus amigos que encarariam essa trilha com você!



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade