Bicicleta: a maneira mais barata de conhecer o Brasil.

artigo publicado em 02/06/2016



voltar

 

É inegável que viajar de bicicleta é a maneira mais barata de conhecer, não só o Brasil, mas o mundo.

Quem viaja de bicicleta, pode riscar do orçamento uma das despesas que mais pesam na hora de viajar: transporte. Esqueça gastos com passagem, pedágios, estacionamento e combustível. Afinal, bicicleta é movida a arroz e feijão, força de vontade e disposição!

Além de ser uma das modalidades mais baratas de viagem, no ciclo turismo todo o trajeto percorrido é a viagem em si e não só a chegada ao destino.  Cada dia é diferente do outro, as paisagens mudam, novas pessoas cruzam o nosso caminho e no final de cada dia, estamos tão exaustos, que só desejamos um prato de comida e uma boa noite de sono.

Confira abaixo:

Dicas para conhecer o Brasil de bike, gastando pouco ou quase nada!

 

Planejando sua cicloviagem

 

 

A primeira regra é economizar com sua viagem, fazendo um bom planejamento.

É necessário definir: o roteiro, equipamento, bagagem, trajeto e orçamento dia-a-dia.

 Com tudo bem alinhado, menores serão, os riscos de imprevistos em suas despesas.

Na escolha do roteiro, o principal é que ele seja compatível com seu condicionamento físico e habilidades com a bicicleta. Escolher uma viagem acima das suas limitações só vai trazer desgaste e frustrações. Considere também o tempo e dinheiro que tem disponível para a viagem, afinal, não adianta querer cruzar o país em uma semana com algumas moedas no bolso.

Com o roteiro definido, o próximo ponto de atenção é a bicicleta. Se você ainda não tem uma e vai comprá-la especialmente para a viagem, leve em conta o seu roteiro. O estilo de terreno, distância, tipo e peso da bagagem, são pontos a serem considerados na escolha da bicicleta perfeita.

Faça um check-up na bike antes do início da viagem. Leve em uma boa oficina e peça uma revisão geral. Quando falamos em cicloturismo, muitas vezes, estamos pedalando em áreas isoladas e seu próximo ponto de parada pode ser a quilômetros de distância. Portanto, sua bike deve estar em dia para evitar imprevistos mecânicos.

Para encarar esse tipo de viagem, é importante que o ciclista saiba o básico de mecânica de bicicleta. Se esse não for o seu caso, aprenda! Imprevistos acontecem durante a viagem e você tem que estar preparado para trocar uma câmara, um cabo, regular o freio ou o câmbio. Leve na bagagem um bom kit de ferramentas e peças de reposição como câmara, pastilhas e outros.

Acredite, essa fase de preparação do equipamento pode ser cara, mas gera economia com manutenção e peças de reposição ao longo da viagem.

 

Definindo seu orçamento

 

Ao longo da viagem, o quanto se gasta por dia é muito relativo e depende muito de cada ciclista. Mas de uma forma geral, os cicloturistas são bem econômicos e considerados competitivos sobre quem gasta menos.

Uma forma de definir o orçamento é calcular mais ou menos, quanto gastaria por dia com alimentação, hospedagem e adicionar um valor extra para imprevistos. Outro método, é pegar o valor que vai gastar com a hospedagem e dobrar. Se não pretende gastar com estadia, pegue o valor de uma diária na região, em que se encontra, como parâmetro. Com esse cálculo você terá o suficiente para a viagem e caso haja algum imprevisto.

A dica aqui é calcular um orçamento que contemple suas despesas diárias e tenha um bom valor se acaso ocorra alguma emergência. Como por exemplo: ter sua bicicleta roubada, se machucar ou sofrer um acidente. Por isso, é necessário ter uma reserva para possíveis despesas médicas, manutenção da bike e transporte emergencial. Outra dica é sempre guardar um valor para ter como voltar para casa, caso tudo dê muito errado.

 

Acredite, você precisa de menos do que imagina!

 

Basicamente, existem duas formas de conhecer o Brasil de bike e com muito planejamento, as duas podem ter custos bem pequenos.

A primeira: é escolher roteiros já famosos por serem rotas de cicloturismo, como os passeios feitos na Estrada Real, a Rota do Descobrimento no sul da Bahia, ou o Vale Europeu em Santa Catarina. Se você está começando e não tem muita experiência em planejar viagens e roteiros de bike, rotas desse tipo podem ser a melhor escolha. Você pode encarar o passeio por conta própria, pois geralmente, há muita informação sobre esses roteiros disponíveis. Consulte se você achar interessante, um grupo ou agência. Você verá que mesmo se optar por uma agência, o custo da viagem é bem pequeno se comparado a outras formas de viajar.

A segunda:  (A que mais combina com a equipe do Portal), é se aventurar mesmo, em uma viagem mais longa, e cruzar o país pelas estradas que o cortam. Defina um ponto de partida e o destino. Pense nos lugares que gostaria de conhecer durante este trajeto e estude as estradas que os interligam, definindo os trechos dia-a-dia, assim como suas despesas. Algumas idéias de roteiro: cruzar o litoral do Nordeste, pedalar pelas cidades históricas de Minas Gerais, atravessar o cerrado na região Centro-Oeste do país.

Independente do seu estilo de cicloturismo, as despesas com a viagem são bem modestas e com um pouco de criatividade e mente aberta, você pode economizar muito mais.

Além do gasto com transporte, que você ciclista praticamente não têm, suas despesas será com hospedagem e alimentação.

Referente à hospedagem, dependendo do roteiro escolhido, ficar em hostels e lugares do tipo “bed and breakfast” são opções econômicas, mas se a viagem for muito longa, você terá que dispor de um bom valor.

Se você quer economizar mesmo, invista em uma barraca de camping. Existem modelos muito leves e compactos, perfeitos para serem transportados na bicicleta. Com uma barraca, você pode usufruir de campings ou simplesmente escolher um local para pernoitar.

Em geral, cicloturistas são vistos com bons olhos pelas comunidades onde param e é muito freqüente que moradores ofereçam estadia, redes ou o quintal de suas casas para que você possa montar a barraca e pernoitar. Postos de gasolina também são bem flexíveis nesse sentido. A maior dificuldade para encontrar abrigo é em cidades grandes e capitais. Então, se tiver que pernoitar em lugares assim, esteja preparado para ficar em um hotel ou pousada.

Outra forma de economizar é trocar trabalho por hospedagem. Existem algumas organizações que dão moradia em troca de algumas horas de trabalho. Um exemplo é o WWOOF Brasil, que oferece oportunidades de trabalho em fazendas orgânicas com hospedagem e muitas vezes refeição. Pesquise se existem oportunidades do tipo nas regiões do seu roteiro. Além de economizar é uma ótima oportunidade de aprender algo novo, conhecer novas pessoas e trocar experiências.

Também existem algumas comunidades de hospedagem solidária, onde pessoas oferecem suas casas para viajantes, e redes de hostels que fornecem diárias gratuitas para cicloturistas. Sempre vale uma pesquisa na internet para saber se existe algo assim nas regiões onde você estará. Essas iniciativas promovem o cicloturismo e é importante difundi-las como boas práticas, então aproveite!

Alimentação

Este é um ponto importante para quem viaja de bicicleta, afinal a viagem depende da sua energia e disposição. Cada ciclista tem um estilo, mas nas minhas experiências com cicloviagens, costumo calcular um gasto médio de R$40,00 por dia com três refeições: um bom café da manhã (refeição mais importante), um lanche durante o dia (um sanduíche, salgado ou fruta) e jantar (prato feito ou comida por quilo, que geralmente são mais baratos). Se você puder transportar alguns alimentos como pão, frutas desidratadas e embutidos, esse gasto pode cair ainda mais.

Já se você for do tipo autossuficiente, vai economizar ainda mais se cozinhar. Existe uma variedade de utensílios de cozinha para camping que são muito práticos e compactos, ideais para levar na bike. Leve alguns alimentos estratégicos e não perca a oportunidade de pedir água quando passar por casas ou estabelecimentos locais.

Ciclistas viajantes costumam ser bem recebidos nas comunidades onde param e isso acaba gerando ainda mais economia, pois muitas vezes podemos contar com uma refeição, água ou hospedagem solidária.

O Brasil é um país de paisagens deslumbrantes e independente do roteiro escolhido, tenha em mente que o principal de viajar de bicicleta é a simplicidade. O brasileiro é muito aberto e solícito, não tenha dúvidas de que você encontrará muita gente de bem e disposta a ajudar.

Explore a Chapada Diamantina, faça o Caminho dos Diamantes, se aventure na Chapada dos Veadeiros. Tem destinos com praia, mata atlântica, cerrado, araucárias, roteiros históricos. Aprecie cada paisagem, interaja com a comunidade local em suas paradas, esteja aberto a conhecer novas pessoas e culturas.

Mais do que uma opção econômica, viajar de bicicleta é um estilo de vida e vai mudar a forma como você enxerga a vida.

Viajar de bike é assim, muita aventura, interação com o ambiente, simplicidade e gastos modestos. Separe seu alforje e caia na estrada!

 

Equipe VoarBaixo



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade