15 dias na Califórnia - parte 2

artigo publicado em 05/07/2016



voltar

Essa é a segunda parte do artigo "15 dias na Califórnia" e a viagem começa em San Francisco.

07/08/2015: Último dia em San Francisco. Fomos até a loja da Alamo pegar nosso carro. Alugamos pela TAM Viagens, pois o Ricardo conseguiu um desconto para agente de viagem. Tinha bastante fila e o atendimento demorou um pouco, mas conseguimos pegar nosso Corolla automático (era o carro mais simples para alugar). Aliás, já tinham me falado que nos EUA, praticamente não existe mais carro com câmbio manual. Saímos da locadora, ligamos o GPS que levamos daqui do Brasil e saímos em direção a Highway 1. Claro que o GPS não funcionou de primeira, tivemos que apanhar um pouco, mas no fim tudo deu certo. Nesse momento, é importante colocar Highway 1 no GPS, e não Monterrey, que seria a cidade destino, pois colocando só o nome da cidade, ele sugere uma outra estrada, e a Highway 1 é que vai margeando a costa, com imagens fantásticas... dá vontade de parar toda hora pra tirar foto:

(o pontinho branco na foto é o Ricardo... rs)

A primeira cidade para parar nesse trajeto pode ser Monterrey ou Carmel, que ficam bem próximas uma da outra. Carmel é bem mais chamorsa, mas com hospedagem bem mais cara, então ficamos hospedados em Monterrey.  De lá, para ir para Carmel, é possível usar a própria Highway 1 ou uma estrada particular, chamada 17 mile drive. Paga 10 dólares para entrar nela e tem várias atrações, todas bem explicadas em um mapa. Também tem muitos condomínios gigantes e campos de golf... Foi simplesmente a rota mais bonita que eu fiz na minha vida. Dá até pra parar no meio da praia (só não dá pra entrar na água, pois é mega gelada):

Carmel é uma ciade super charmosa, com casinhas enfeitadas e muitas lojinhas (como se fosse Campos do Jordão mais bonito e com praia). Passamos por uma galeria onde estava tendo um happy hour com banda ao vivo:

E vimos o famoso por do sol da praia de Carmel:

Em Monterrey, a noite é bem agitada em Canery Row, onde tem muitos bares com música ao vivo e restaurantes. Tem também uma loja de chocolates gigante, mas já estava fechada quando chegamos :(

08/08/2015: dia de sair de Monterrey com destino a Paso Robles. Como gostamos muito de Carmel, resolvemos ir tomar café da manhã lá em um dos cafés charmosos que tem na rua principal. De lá já partimos para o primeiro ponto turístico, o Point Lobos State Reserve, que tem a entrada bem na Highway 1, super fácil. Lá é cobrado 10 dólares para entrar com o carro e dá pra estacionar e andar a pé nas trilhas. O parque é muito bonito, tem um ar de tranquilidade e dá pra ficar horas só admirando a paisagem. Tem uma fauna muito rica também. Vimos muitos leões marinhos, pássaros de todos os tipos, e lembrei muito dos desenhos do pica-pau e do papa léguas, que apareciam aqueles bichos que chamam de marmotas, que surgem de um buraco na terra e, quando alguém tentava pegar, eles se se enfiam debaixo da terra (no meu caso, se enfiavam na terra bem na hora de tirar foto).

Saindo do parque, fomos procurar o famoso restaurante Nepenthe, que fica na região do Big Sur, que, como dizem, é o filé da Highway 1. Realmente é a parte com as vistas mais bonitas e o restaurante estava super lotado. Disse ao garçom que era aniversário do Ricardo, então ele ganhou uma caneca bem bonita. Na foto não dá pra ver direito o visual porque estava com um pouco de neblina, mas foi fantástico:

Saindo do restaurante, fomos em direção a Hearst Castle, mas no caminho paramos em um lugar onde era possível ver elefantes marinhos. Nesse momento, me perguntei o que seriam elefantes marinhos, e a resposta é, por mais absurda que seja, uma mistura de leão marinho com elefante, pois são leões marinhos muito grandes que tem trombas que parecem de elefante. Eles ficam amontoados um em cima do outro e se movem com muita dificuldade... achei bizarro...

Bom, o Hearst castle, também na Highway 1, é um castelo construído por um magnata em mil novecentos e bolinha. Paga 25 dólares para a visita guiada (dá pra comprar na hora mesmo) e lá é possível ver o exagero de riquesa que ele possuia. O passeio dura mais ou menos uma hora e eles contam como vivia a família, as festas que eles faziam para a classe alta, e o ponto alto é a parte da piscina interna, muito bonita:

Saímos de lá no final da tarde em direção a Paso Robles, que é praticamente uma cidade dormitório. Só serve para dormir, para seguir para Santa Barbara no dia seguinte.

09/08/2015: Acordamos cedo e já partimos para Santa Barbara. Nessa parte, a estrada já não é mais tão bonita, pois ela deixa de margear a costa. Chegamos lá antes do horário do check in do hotel e fomos passear pela rua principal, onde tem uma Mission , que vale muito a pena a visita (gratuita). Por cima se vê toda a cidade:

 

Santa Barbara é outra cidade charmosa, mas mais com clima de praia. Tem um píer muito bonito, onde almoçamos com uma vista para o mar privilegiada. Andar pelo calçadão também é um passeio muito legal, com vistas lindas. Até tentei entrar na água, mas só coloquei os pés, pois é muito gelada.

No píer, almoçamos tacos de lagosta com cerveja de gengibre!

No dia seguinte, partimos para Los Angeles.

O relato está em "15 dias na Califórnia - parte 3"

Curtiu? então compartilhe ou envie ao seu amigo!

Flavio Spina

flavio_spina@yahoo.com.br

https://www.facebook.com/flavio.spina.7



Recomendados para você

Receba promoções em seu e-mail

Junte-se a mais de 20.000 leitores e receba preço de viagens em promoção, artigos e notícias sobre turismo alternativo.

Publicidade